sábado, novembro 12

Você é contra ou a favor da Divisão dos Royalties do Petróleo?

Há perguntas que não são respondidas com raciocínio lógico, mas são manipuladas por aqueles que detêm o poder.

As manifestações em defesa ou contra os royalties do petróleo está mobilizando vários estados. No dia 10 de novembro de 2011, o Rio de Janeiro reuniu cerca de 150 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar. Manifestantes eram contra as regras de partilha do petróleo, que pode causar prejuízo de R$ 48,8 bilhões ao Estado. E o Estado do Espírito Santo também está na briga.
Alguns diziam que o evento não teve nada ver com partidos políticos, reunindo pessoas de diversas classes tanto sociais quanto profissionais, até a apresentadora de TV Xuxa Meneghel mencionou que a divisão seria um "assalto", mas será que é mesmo? Sendo a Petrobrás uma empresa de capital aberto (sociedade anônima), cujo acionista majoritário é o Governo do Brasil (União). Será que a divisão dos royalties do petróleo não seria uma oportunidade para o todo e não só para esse ou aquele Estado? Quando dizemos que "O PETRÓLEO É NOSSO", não queremos dizer que ele é do Brasil? Com grandes dúvidas, tento imaginar o que estão pensando nossos irmãos dos outros Estados.
De acordo com nossa Carta Magna, no Capítulo II no Art. 20 da Constituição Federal de 1988 no § 1º, diz:
"É assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, bem como a órgãos da administração direta da União, participação no resultado da exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território, plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeira por essa exploração".
Já a Emenda Constitucional nº 33, de 11 de Dezembro de 2001, diz no § 4º Na hipótese do inciso XII, h, observar-se-á o seguinte:
I - nas operações com os lubrificantes e combustíveis derivados de petróleo, o imposto caberá ao Estado onde ocorrer o consumo;
II - nas operações interestaduais, entre contribuintes, com gás natural e seus derivados, e lubrificantes e combustíveis não incluídos no inciso I deste parágrafo, o imposto será repartido entre os Estados de origem e de destino, mantendo-se a mesma proporcionalidade que ocorre nas operações com as demais mercadorias;
III - nas operações interestaduais com gás natural e seus derivados, e lubrificantes e combustíveis não incluídos no inciso I deste parágrafo, destinadas a não contribuinte, o imposto caberá ao Estado de origem
.A CF/88 deixou um pouco confuso, é ou não dá União à exploração? Ou apenas pertence aos Estados que convivem com a poluição, os desastres ecológicos...? Teremos vários eventos importantes no nosso País ao longo dos próximos anos, então qual seria a melhor forma de resolver este impasse, dividir ou não? Essa é uma decisão que cabe a nós brasileiros responder e não deixarmos nos influenciar por artistas, partidos, religiosos... Vamos pensar por nós mesmos e lembrarmos-nos da Alegoria da Caverna, escrito pelo filósofo grego Platão e que se encontra na obra intitulada "A República (livro VII)". Tratando-se da exemplificação de como podemos nos libertar da condição de escuridão que nos aprisiona através da luz da verdade.alt
Os Estados mais pobres são os do interior do nosso País, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que incluir socialmente os 16,2 milhões de brasileiros que vivem na extrema pobreza é mais que um compromisso moral e ético, é um imperativo econômico para o país. Com o "Plano Brasil sem Miséria", que tem o objetivo de elevar a renda e as condições de bem-estar da população. As famílias extremamente pobres que ainda não são atendidas serão localizadas e incluídas de forma integrada nos mais diversos programas de acordo com as suas necessidades, mas para isso é preciso dinheiro. Então será que não seria um egoísmo a não divisão?
Os Estados do Sudeste são os que mais arrecadam impostos e o que são feito com eles? Os Estados mais pobres são os que mais se encontram corruptos. Alguns ainda vivem sobre o poder dos coronéis que aproveitam da ignorância do povo para ditar leis que só levam as desgraças. Então façamos mais uma pergunta: O que seu Estado fez com o dinheiro que arrecada, sem o Programa de Aceleração do Crescimento (mais conhecido como PAC) ou qualquer programa do Governo Federal?
Se as perguntas não foram respondidas neste artigo, esta foi à intenção, deixar dúvidas e que elas sejam respondidas com racionalidade, pelo povo, para que possamos ter uma divisão justa e que os direitos dos brasileiros sejam respeitados. Não devemos disputar como se isso fosse uma guerra, onde estamos dividindo nossa Nação, já basta discriminação social, racial, religiosa, sexual, por idade... E agora disputa entre Estados? Por mais que os anos se passem e por mais que se repita, a pergunta da música de Renato Russo "QUE PAIS É ESSE?", também não foi respondida.


sexta-feira, novembro 4

Educadores do CAMP Mangueira recebem homenagem do CRA-RJ (Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro)


Os educadores do CAMP Mangueira, Meri Paixão e Carlos Henrique foram objeto de uma citação pelo belo trabalho que realizam como colaboradores do Conselho Regional de Administração - CRA/RJ em sua revista ADMINISTRAÇÃO, edição de Setembro/Outubro de 2011.
Leia a reportagem através do link:
http://cra-rj.org.br/site/cra_rj/publicacoes/revistas/Revista_CRA_93.pdf
Os parabéns do CAMP a esses valorosos profissionais que contribuem na formação de nossos aprendizes.

terça-feira, outubro 25

A importância do líder para a educação nas empresa.

Hoje quero falar um pouco sobre um assunto crítico. O papel do líder como educador nas empresas. É fato que os últimos tempos vêm exigindo muito das lideranças, já que são muitas as demandas de mercado, internas, novas tecnologias e outros fatores que tornam a posição de líder cada vez mais complexa. E é fato também que a tendência é que o cenário continue assim. E nesse rol de exigências, a meu ver, uma das mais importantes, senão a principal, está a representatividade dessa figura para seus liderados como um espelho de comportamento e conduta, um norteador de carreiras.

A literatura classifica vários tipos de líderes como de linha, de rede, executivos, mas para mim, em qualquer que seja a área, as pessoas necessitam mesmo desse líder educador. Aquele que pratica a gestão do compartilhamento e incentivo à formação continuada. E sempre há a pergunta: como é possível um líder educador em um ambiente de tensão e competitividade?

De acordo com Senge (2000), os líderes são de fato aqueles que desempenham um papel dentro das organizações que permita a tensão criativa, ou seja, que tenham a capacidade de identificar a energia que é gerada coletivamente na organização e canalizar essa energia em prol daquilo que determina como o melhor rumo para a empresa e as pessoas, conforme suas análises da realidade. Esses líderes seriam, então, não somente gestores de processos, mas principalmente, norteadores de seus liderados para as melhores formas de se fazer, se aprender e se criar o futuro. É o desafio de entender a dinâmica que a atividade impõe e transformar esses desafios em oportunidades de aprendizado contínuo.

Uma outra classificação encontrada na literatura que vem de encontro a esse meu pensamento sobre o líder educador fala do líder coach, que assume o compromisso de apoiar as pessoas a alcançarem objetivos, sempre valorizando as habilidades e possibilidades de cada um. E em tempos de constantes mudanças, a ação desse líder é fundamental em vários aspectos:

- Acompanhar o desempenho de seus liderados e primar pelo exercício constante dofeedback, valorizando os pontos positivos e orientando sobre como melhorar comportamentos ainda conflitantes com a cultura que se espera criar na organização;

- Estar preparado para adaptar o repertório em face da diversidade que existe na empresa. Cada pessoa tem um perfil e necessidades específicas. Ao líder coach cabe entender o estilo de seus liderados e, com base nisso, direcionar sua orientação e a definição de responsabilidades;

- Delegar é um ponto crítico e não se pode auxiliar um liderado e proporcionar crescimento a ele, se as responsabilidades atribuídas não são realizáveis. Assim, o líder precisa estar atento às habilidades de cada um, suas limitações e, juntamente com o liderado, traçar um plano de desenvolvimento que seja executável, em prazos também reais e possíveis;

- Dar exemplo e encorajar também é fundamental. Estar engajado nas ações de educação e, principalmente, encorajar a iniciativa e a independência, o valor da colaboração para a sedimentação e “blindagem” do conhecimento organizacional. Estimular a troca de idéias, sugestões e soluções de sucesso. Isso gera confiança e referência no líder como um incentivador do desenvolvimento de cada pessoa.


Para quem trabalha com educação corporativa, o suporte e participação dos líderes é uma das melhores estratégias para bons resultados. E isso independe do nível hierárquico da liderança. Enquanto se desenvolvem e se aplicam programas e ações de educação, das mais diversas formas e modalidades, a atuação simultânea dos líderes vai dar legitimidade e validar essas ações na ponta.

Como é a sua vivência em relação a isso na sua empresa?

Compartilhe conosco suas experiências!

Até o próximo!

Ubirajara Neiva
Gestor de Educação Corporativa e Relacionamento

quinta-feira, outubro 20

Administração para a vida: porque o tempo é curto


Certo dia um aluno me disse que não gostava de Administração de Empresas. Então eu disse: Mas você gosta de administrar a sua vida? Ele ficou confuso e, então, analisamos juntos o que haveria de ser isso

Administração é fundamental para a vida, é através dela que podemos saber qual a direção que devemos tomar. Sem administrar a própria vida, uma pessoa pode se desvirtuar para a margem da sociedade, fazendo uso de drogas, cometendo assassinatos e até o suicídio.
Sendo assim é de suma importância que saibamos administrar a nossa vida e pensarmos como Administradores. Mas primeiro precisamos analisar qual a nossa missão, nossos valores, nossos objetivos e nossa visão de futuro. Então devemos pensar em:
  • Qual a nossa missão nessa vida? Porque estamos aqui? Qual a nossa importância nesse mundo?
  • Os nossos valores são dados pelos nossos pais e pela sociedade em que vivemos como a moral, os costumes, a ética e podemos moldar com o tempo e fazermos com que estes valores sigam o rumo para o nosso bem e o bem do próximo;
  • Quais os nossos objetivos: o que queremos?
  • E devemos ser visionários, entendermos para onde queremos ir e como iremos chegar.
Após pensarmos em tudo que esta acima, agora devemos colocar em prática: planejando, organizando, dirigindo e controlando a vida, então minha dica é:
  • Planejar: estabelece os objetivos da sua vida, especificando a forma como serão alcançado;
  • Organizar: é a forma de coordenar todos os recursos, sejam relacionamentos interpessoais, financeiros ou materiais, alocando-os da melhor forma segundo o planejamento estabelecido;
  • Dirigir: a vida é como um carro somos nós que dirigimos e não ele que chega ao seu destino sozinho. A frase "Deixa a vida me levar", não pode ser vista como verdade. Para Stoner (1999) liderar significa dirigir, por isso você deve liderar a sua vida e realizar tarefas essenciais, conforme o planejamento;
  • Controlar: Para Chiavenato (2000) fala que a finalidade do controle é assegurar que os resultados do que foi planejado, organizado e dirigido se ajustem tanto quanto possível aos objetivos previamente estabelecidos.
Tendo tudo isso por escrito, pois vejo que um plano deve estar por escrito para que não esqueçamos, a administração da vida não deve ser desconsiderada e sim revista dos os dias para a sua eficiência e eficácia. Assim, podemos montar um bom marketing pessoal e pensarmos no intraempreendedorismos que nada mais é o tipo de profissional que lida muito bem com a busca pelo novo, sem medo dos riscos que possa correr por gerar uma idéia e compartilhá-la com seus superiores. Por isso, administre a sua vida já e faça a diferença!
Referências:
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 6 ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.
Intraempreendedor. Disponível em: http://www.sobreadministracao.com/intraempreendedorismo-guia-completo/, acesso em out. 2011.

STONER, James A. F.; FREEMAN, R. Edward. Administração. 5 ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1999.

quinta-feira, outubro 6

Neuroliderança - O Caminho sem Volta

“Os resultados das pesquisas sobre o funcionamento do cérebro autorizam a reinventarmos as regras básicas de quase tudo que envolve pensamento e aprendizagem, incluindo como os líderes desenvolvem as pessoas.”

David Rock*

Tendo como princípio que liderar Ç influenciar pessoas no sentido de obter resultados, NEUROLIDERANíA é a abordagem desta competência (liderança) que considera as últimas descobertas da neurociência (estudo do funcionamento da mente e do cérebro) aplicadas ao relacionamento entre as pessoas numa organização ou ambiente profissional.

O modelo “RICAS” resume os dois achados fundamentais envolvidos neste processo. O primeiro é o princípio organizador das nossas reações mais instintivas que afirma que tendemos a nos mover para minimizar ameaças e maximizar recompensas. E o segundo é que as conexões cerebrais responsáveis por nosso comportamento social são reguladas pelos mesmos grupos de circuitos cerebrais usadas para nossas necessidades de sobrevivência básicas e assim determinam se devemos nos afastar de algo (perigo/ameaça) ou nos aproximar (oportunidade/recompensa). Ou seja, o que os neurocientistas chamam de cérebro social.

O modelo RICAS abrange CINCO dimensões nas quais o gestor deve colocar atenção para otimizar sua liderança e propiciar o desenvolvimento das pessoas da equipe segundo os preceitos do funcionamento cerebral.

R

RELACIONAMENTO

A necessidade de sermos aceitos, incluídos nos grupos, devido a nossa natureza social e gregária. Conexão Social

I

IMPARCIALIDADE

A expectativa que haja justiça na troca entre as pessoas

C

CERTEZA

A crença de que sabemos o que vai acontecer no futuro

A

AUTONOMIA

A necessidade de termos um mínimo de controle sobre os acontecimentos nos quais estamos envolvidos

S

STATUS

A percepção de nossa posição social no grupo, relativa a uma pessoa ou as outras pessoas.

Esta abordagem da liderança é revolucionária na medida em que permite o entendimento do dano moral provocado por um chefe que ofende e agride verbalmente seus colaboradores, quando para ele mesmo (chefe), está fazendo apenas uma “cobrança” de determinada tarefa. O que ocorre nestes casos é que o outro não aprende absolutamente nada nestas situações, muito menos desenvolve novas competências ou habilidades. Se pudéssemos fazer uma ressonância magnética funcional do cérebro deste liderado neste momento, poderíamos observar que as áreas que estão ativadas são as mesmas, caso esta pessoa estivesse diante de um leão bravo, ou seja, medo, raiva e vontade automática de fugir ou atacar, jamais vontade de aprender uma maneira melhor de fazer a tarefa. Isto ocorre devido ao fato de que a violência social e a violência física provocam respostas similares no cérebro.

Um dos grandes achados da neurociência é o que demonstra que há uma significativa diminuição no desempenho cognitivo de uma pessoa (leia-se aprender novas competências, encontrar soluções originais) quando ela se encontra numa situação potencialmente ameaçadora, como por exemplo, um chefe gritando ou ofendendo-a de alguma forma. Isto ocorre devido principalmente a três fatores. Primeiro, os recursos disponíveis (sangue, oxigênio, glicose) na região do córtex pré-frontal para pensar e analisar uma determinada situação ou solucionar um problema; são drasticamente reduzidos, diminuindo muito as possibilidades de sinapses e conexões neuronais. Segundo, com a intensa ativação da amígdala (estrutura do cérebro límbico que entra em cena sempre que nos encontramos numa situação de perigo) e a consequente emoção de medo, perdemos sensivelmente nossa capacidade de sermos criativos, pois a prioridade agora é permanecer vivo e não criar ideias inovadoras. Para termos insights é necessário que estejamos tranquilos. E terceiro, quando sentimos medo ou raiva tendemos a supergeneralizar mais ainda uma situação ou pessoa, aumentando a probabilidade de cometermos erros, pois estamos agindo de baixo de forte emoção. O mais provável nestas situações é reagir de forma automática (o sistema límbico processa os estímulos antes que eles cheguem a consciência), defensiva e sem nenhuma vontade de correr riscos ou ousar.

Aprender significa criar novas conexões de neurônios e, para isso, nosso cérebro precisa de muitos recursos que permitem executar todas as combinações, associações e comparações das novas ideias com aquelas das quais ele já possui o registro. Para que isso ocorra no ambiente organizacional é fundamental um novo tipo de gestor, comprometido em aperfeiçoar o pensamento e o desenvolvimento das pessoas da equipe. Um líder tranquilo, que também deixe tranquilo aos seus liderados, liberando a energia destes para aproximarem-se do aprendizado de novas competências e não “pré-ocupados” em afastarem-se dos perigos iminentes que implica sobreviver na selva corporativa.



(*) IMVC UPDATE - Newsletter do Instituto MVC

quarta-feira, setembro 28

CÂMERA ESPECIAL - CanalCJC

Neste bloco você conhece o Camp Mangueira, um projeto social que tem o objetivo de preparar os jovens para o mercado de trabalho.
Apresentação: Suzane de Oliveira
Reportagem: Christiane Postigo
Imagens: Roney Vieira
Edição: Marco Vieira



Para jovens, internet e redes sociais são tão vitais quanto ar, água, alimento e moradia, aponta estudo

  ouviu universitários e profissionais de vários países
Por Redação, www.administradores.com.br


        Um estudo mundial realizado pela Cisco entre universitários e jovens profissionais aponta que 33% dos entrevistados consideram a Internet um recurso essencial para o ser humano, como ar, água, alimento e moradia. E o relatório considera ainda que mais da metade não conseguiria viver sem a Internet e a cita como uma "parte integrante de sua vida" – em alguns casos, mais importante do que carros, namoro e "baladas".
        Em sua segunda edição, o estudo realizado anualmente investiga a relação entre o comportamento humano, a Internet e a difusão das redes, dando uma ideia do pensamento, expectativas e comportamento da próxima geração da mão de obra mundial e como ela influenciará o mundo corporativo.
       Os resultados fornecem também uma ideia dos desafios da empresa para manterem-se competitivas, levando em conta o futuro das comunicações corporativas, mobilidade e segurança, com tecnologias capazes de fornecer informações em cada vez mais lugares – de data centers virtualizados e computação em nuvem a redes com e sem fio tradicionais.
        A pesquisa foi realizada em 14 países com universitários e profissionais com até 30 anos de idade dos EUA, Canadá, México, Brasil, Reino Unido, França, Espanha, Alemanha, Itália, Rússia, Índia, China, Japão e Austrália.
Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Salário dos Professores e dos Políticos


quarta-feira, setembro 21

Temos vaga. Mas você tem experiência?

Não me arriscaria a dar conselhos, mas é inegável que, para quem não nasce em berço de ouro, como se diz por aí, o conhecimento é que assume esse valor e abre caminhos

Por Guto Martins, www.administradores.com.br
"Você não sabe o quanto caminhei, pra chegar até aqui...", trecho da música A estrada, do Cidade Negra, faz-me lembrar os passos que dei para hoje ser um dos sócios da br4.cgn e o quanto evoluí para que isso acontecesse. Todas as experiências em empresas, as pessoas que conheci neste tempo e o conhecimento que trouxe de cada uma.

Não me arriscaria a dar conselhos, mas é inegável que, para quem não nasce em berço de ouro, como se diz por aí, o conhecimento é que assume esse valor e abre caminhos. Por isso, sempre pautei minha trajetória na busca por conhecimento e compartilho esse princípio com todos que me cercam.

Como músico também, nunca fujo à comparações da atuação profissional na área de comunicação. Um exemplo disso é um guitarrista que se dedica a vida toda para aprender todas as técnicas para, em uma única e breve apresentação, demonstrar tudo o que sabe com perfeição e conquistar o reconhecimento. É preciso preparo, coragem, ousadia para alcançar o sucesso.

Outro ponto fundamental, é que um profissional só é capaz de improvisar quando possui repertório suficiente para tanto. Só é possível saber quais as opções e decisões adequadas com segurança, quando se tem conhecimento para isso. Evitar a 'gambiarra', o 'jeitinho brasileiro' é fugir de riscos desnecessários, para os quais uma empresa séria não está disposta.

Pode parecer que estou 'chovendo no molhado', também como dito por aí. Mas o fato é que temos nos deparado com uma realidade um tanto desfigurada do mundo ideal. Agências de comunicação têm demanda séria, enfrenta a competitividade feroz em um mercado que é mais disputado a cada dia. E essa realidade faz frente ao duro cenário de uma enxurrada de pequenos notáveis, ansiosos por seu lugar ao sol, e que chegam "prontos" para atropelar etapas importantes, porque se crêem aptos a romper quaisquer barreiras rumo ao sucesso, como é o caso da geração "Y".

Hoje, leva-se muito tempo para se encontrar bons profissionais. A busca por emprego traz para as agências profissionais pouco preparados, com baixa capacidade de integração para atuar em equipe e com expectativa de salário fora da realidade de mercado e de sua própria.

Até pouco tempo, podíamos contar com profissionais multitarefa, prontos para enfrentar crises e contribuir com o crescimento da equipe. Hoje, mal se consegue profissionais capacitados tão somente para a vaga que se oferece.

Se conhecimento bem aproveitado é vital, porque não o estão adquirindo? Atualmente, a internet está mais do que consolidada como fonte de informação, mas parece que a ideia de 144 caracteres é o suficiente para gerar conteúdo e, principalmente, opinião.

Apesar de anos de caminhada, até hoje participo de fórum de discussão, palestras, leio artigos, jornais, revistas especializadas, livros, recebo newsletter de assuntos relevantes, tenho sede de conhecimento. E essa geração? O que tem feito para ser melhor na sua área e fazer valer o salário que almeja?

É preciso ir além e as pessoas estão preguiçosas ou esperam que a informação chegue no celular retwittada ou em um aviso no seu mural.

Um antigo chefe me disse uma vez: aprenda uma coisa nova e seu dia estará ganho. É o que faço e sempre sugiro que outros façam. Conhecimento nunca é demais e faz diferença para você e em seu dia a dia.

E quem tem pressa para chegar ao topo, pode não parecer, mas com disposição e busca por conhecimento, novos aprendizados, essa caminhada torna-se mais responsável e tranqüila. Assim, você estará sim escalando para chegar onde deseja. E, ao menos aqui, seu espaço estará garantido.

Você não sabe o quanto caminhei. É provável que não saiba o quanto você caminhará, mas com certeza saberei, conversando com você, o quanto já caminhou.

Guto Martins - é diretor de Mídias Digitais e um dos sócios da br4.cgn, agência de comunicação e arquitetura de eventos..

Acesse: Temos vaga. Mas você tem experiência?

Melhoria contínua - Liderança


Investir na capacitação e na melhoria contínua dos colaboradores são dois pilares que o Grupo GR, uma das empresas mais consolidadas no setor de segurança privada e terceirização de serviços, mantém como primordiais para atender seus clientes com excelência. Seguindo essa linha, o grupo vem implementando, desde 2009, estratégias e ações de qualificação de líderes e demais profissionais, como é o caso do Programa de Desenvolvimento de Supervisores e a implantação dos Modelos de Competências.

Com duração de seis meses, o programa fornece fundamento, atualização, reflexão e conhecimento a todos os profissionais que assumiram o cargo de supervisão operacional, além de proporcionar uma gestão de qualidade nas áreas sob responsabilidade do profissional, garantindo um melhor desempenho da equipe. “Os supervisores obtêm ferramentas e metodologias para gerenciamento de recursos tecnológicos, financeiros e humanos e, ainda, percorrem módulos com conteúdos sobre todas as principais áreas organizacionais relacionadas à sua função”, explica Flávia Herdeiro, diretora de recursos humanos do grupo.

Outro passo dado pelo grupo foi a implantação dos Modelos de Competências focados nas habilidades enquadradas dentro do conceito de RH Estratégico e que nasceram inseridos num contexto de competitividade crescente como uma forma inovadora e inteligente de atender às novas demandas dos ambientes organizacionais. “Essa metodologia proporciona ao profissional mais clareza e objetividade sobre as características essenciais para o seu desempenho, bem como fundamenta a empresa com dados concretos sobre suas forças e pontos a melhorar em relação aos seus recursos humanos. O colaborador tem uma visão organizacional geral e por níveis ou cargos a serem comparados com os resultados de produtividade”, conta Flávia.
Com a implantação desses projetos, o Grupo GR conseguiu aumentar em 20% o número de clientes fidelizados e reduzir em 12% o turnover de funcionários, que, sob uma gestão mais preparada, passaram a acreditar mais e valorizar mais continuar na empresa em que estão.

Acesse: Melhoria contínua - Liderança

domingo, julho 17

Pequeno guia de sobrevivência profissional para quem odeia redes sociais

Por Sílvio Tanabe, www.administradores.com.br

Saiba o que fazer para aparecer e aumentar suas oportunidades no mercado de trabalho nas redes sociais, mesmo que elas não sejam a sua praia.

segunda-feira, junho 27

Filme Rio: a marca que todos querem


Com tanto sucesso, a marca transformou-se em uma cobiçada garota propaganda, e diversas empresas aproveitaram o embalo da repercussão do filme para desenvolver ações de marketing com seus personagens. (Por Redação, www.administradores.com.br)


Clique no link: Filme Rio: a marca que todos querem

quinta-feira, junho 23

CAMP Mangueira na TV Brasil - 21/06/2011

Serviços públicos são efetuados na comunidade
TV Brasil
Repórter Rio (12h00)
Policiais destruíram hoje uma casa-mata usada pelos traficantes da Mangueira. Ainda há muito movimento na entrada da comunidade, com muitos funcionários da prefeitura realizaando serviços no local. Muitos quiosques foram demolidos.
 

quinta-feira, junho 16

CAMP MANGUEIRA

Projeto sócio-educativo integrante do Programa Social da Mangueira, é uma instituição sem fins lucrativos que atua no processo de formação profissional e pessoal de adolescentes, sendo referência na preparação de jovens para o mercado de trabalho.
Criado em 24 de agosto de 1988 por Alice de Jesus Gomes Coelho, a “tia Alice”, o CAMP se baseia na construção da cidadania através da educação pelo trabalho tendo como público alvo os adolescentes do bairro da Mangueira e adjacências.
Através da iniciação profissional qualificada, os jovens em situação de maior vulnerabilidade e risco social têm a possibilidade de transformar a realidade social em que vivem.construindo um futuro mais digno e mais promissor.
Localizado no Complexo da Vila Olímpica da Mangueira, o CAMP conta com um espaço físico apto para atender cerca de 700 adolescentes por ano que buscam no projeto a oportunidade de sua iniciação profissional.

Qualquer informação sobre o Projeto CAMP Mangueira entre em contato e marque uma visita.
Telefone: (21) 2501 5484 / Fax: (21) 2501 8799
Comunicação Social – comunicacao@campmangueira.org.br
Pedagogia – pedagogia@campmangueira.org.br
Psicologia – psicologia@campmangueira.org.br
Serviço Social - assistente.social@campmangueira.org.br

segunda-feira, junho 13

Líder: conheça as sete dimensões da comunicação verbal

Para o especialista, o bom comunicador tem consciência que está informando sem necessariamente emitir som.
Infomoney


Saber se comunicar bem é um dos requisitos fundamentais para quem ocupa um cargo de chefia. De acordo com o autor do livro “As Sete Dimensões da Comunicação Verbal” (Ed. Gente), Reinaldo Passadori, a comunicação é essencial para que os papeis de líder e liderado se complementem, atingindo assim o resultado esperado.
Para o especialista, o bom comunicador tem consciência que está informando sem necessariamente emitir som. Segundo ele, a comunicação eficiente está relacionada, não apenas com a voz, mas com a apresentação, postura, clareza e segurança da informação que está sendo transmitida. Como não são todos os profissionais que são considerados comunicadores natos é possível desenvolver a habilidade.
“Mais do que nunca, as empresas estão tendo consciência da importância da comunicação no processo de liderança. A comunicação é uma competência que não é trabalhada pelas escolas. Estudos apontam que a maioria dos problemas dentro de uma empresa é causada por falta de comunicação. As pessoas buscam preparo técnico, como MBA, mas não desenvolvem a habilidade da comunicação”, afirma.


Sete dimensões


Para auxiliar os profissionais, Passadori elaborou um método que os ajuda a construir seu próprio estilo de comunicação. A medida é baseada em sete dimensões. Confira quais são:
Comunicação intrapessoal: este conceito trabalha a percepção que o profissional tem de si mesmo. Ele está relacionado com a autoestima e o autoconhecimento. “Se a pessoa não se gosta, como ela vai irradiar a sua energia?”, questiona o especialista. Para ele, a comunicação deve iniciar internamente, só assim é possível estabelecer interação com o mundo externo;
Comunicação interpessoal: está relacionada ao modo como o profissional enxerga o outro. Os bons comunicadores aceitam e respeitam as outras pessoas como elas são, mesmo que sejam diferentes deles. Pode parecer simples, mas colocar a ação em prática é bem difícil;
Comunicação vocal: a voz transmite o conhecimento do profissional. Neste conceito, o autor afirma que a pessoa tem de ter domínio sobre a sua fala. Para isso, é necessário estar atento a dicção, ao tom da voz e ao ritmo. A voz tem de ser assertiva, equilibrada e segura, assim as pessoas conseguirão entender a mensagem que é transmitida;
Comunicação corporal: se refere ao modo como o profissional se porta em diferentes situações, trabalha a expressão do rosto e do corpo e como movimenta as suas mãos. Neste conceito também estão incluídos a maneira como a pessoa se veste e sua elegância. Lembre-se: seu corpo também fala;
Comunicação técnica: esta dimensão trata das habilidades essenciais aos líderes que precisam realizar apresentações bem-sucedidas. A comunicação técnica está relacionada a todo o sistema de apoio necessário para realizar uma apresentação. O líder tem de fazer uso adequado destes aparelhos. Isso significa saber usá-los da maneira correta, ou seja, nem a mais e nem a menos;
Comunicação intelectual: está relacionada com a capacidade de unir os próprios conhecimentos, vindos da experiência, de estudos e da percepção das outras dimensões da comunicação;
Comunicação espiritual: não pode ser aprendida por meio de técnicas, já que está relacionada diretamente aos valores dos profissionais. “O líder tem consciência que seu papel influencia a vida de outras pessoas, por isso ele é guiado por seus valores”, finaliza o especialista.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

sábado, maio 14

Piso salarial do Administrador no RJ é considerado baixo

Piso salarial do Administrador no RJ é considerado baixo
"O desenvolvimento de produtos deve começar por um profundo entendimento da funcionalidade, não apenas da forma." - C. K. Prahalad

terça-feira, fevereiro 22

TV ALERJ

Clique na figura acima e assista a TV ALERJ da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde eles informam todas as situações da nossa política governamental no Estado do Rio de Janeiro.

sábado, janeiro 22

FRASES PARA 2011

"Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia,
teve que tomar uma atitude de coragem". (Peter Drucker)

"O que você deixa para trás não é o que é gravado em
momentos de pedra, mas o que é tecido na vida de outros". (Péricles)

"Nossa importância não está nas honras que recebemos,
mas naquelas que merecemos". (Aristóteles)

"Procure saber mais que uma resposta.
Isso cria como opção... mais que uma oportunidade". (Walter Grando)

"Os líderes de amanhã sabem compartilhar o poder,
a informação e o compromisso". (Flávio Kosminsky)

"O que for teu desejo, assim será tua vontade.
O que for tua vontade, assim será teus atos.
O que forem teus atos, assim será teu destino".
                                        (Deepak Chopra)

"O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o                
reflexo de seus próprios pensamentos. A maneira como você
encara a vida é o que faz toda a diferença".  (Luíz Fernando Veríssimo)

"Você tem que ser o espelho da mudança que está propondo.
Se eu quero mudar o mundo, tenho que começar por mim".
                                                 (Mahatma Gandhi)

"Uma atitude positiva pode não resolver todos os seus problemas,
mas ela irá incomodar uma quantidade suficiente de pessoas para valer o esforço"
                                                                       (Herm Albright)

"O mais valioso entre todos os capitais é aquele investido em seres humanos"
                                                                                     (Alfred Marshall)

"Um homem nunca sabe aquilo de que é capaz até que o tenta fazer" (Charles Dickens)

"O futuro das organizações - e nações - dependerá cada vez mais de sua capacidade de aprender coletivamente" (Peter Senge)