sábado, janeiro 14

Você quer ser Custo ou Capital Intelectual?


Finalmente as empresas estão transformando o Recursos Humanos em áreas estratégicas e analisando as pessoas como parceiros que trazem o desenvolvimento para a organização

De acordo com o Departamento Pessoal, a Contabilidade e o Financeiro, as pessoas que trabalham em uma organização são consideradas custos (direto ou indireto). Mas o Departamento de Recursos Humanos (sendo este estratégico), não pensa em ter pessoas como custos na organização.

Mas como saber se um funcionário é custo ou não? De acordo com o Livro Gestão de Pessoas de Chiavenato, o Século XX teve três importantes Eras: Era Clássica (1900 – 1950), Era Neoclassica (1950 – 1990) e Era da Informação (após 1990). Alguns teóricos dizem que hoje vivemos na Era da Informação e do Conhecimento, mas penso que vivemos mesmo é na Era do Conhecimento.

A informação está em qualquer lugar: nos jornais impresso ou televisivo, na internet, nos livros, nos tablets... Claro que não está disponível para todos, mas a maioria tem acessibilidade. Mas, e o conhecimento? Não adianta informar se não ha a busca, e a partir do momento que se busca a informação passasse a ter o Conhecimento. Veja:

Conjunto de Dados = Informação = Conhecimento = Criatividade e Inovação = Capital Intelectual.

Desta forma podemos dizer que quando a pessoa detém a Informação ela passa a ter Conhecimento. Para que esse Conhecimento seja bem utilizado a pessoa deve desempenhar as habilidades conceituais, técnicas e humanas, porque já sabemos que apenas o QI (Quociente de Inteligência) não faz com que a pessoa evolua, pois somos seres sociais, sendo assim, dependemos de outras pessoas por isso a importância de um QE (Quociente de inteligência) ou Inteligência Emocional.

Tendo o Conhecimento e difundindo o mesmo, fazendo dele uma forma de criar e inovar, o funcionário passa a ser Capital Intelectual. E o Capital Intelectual constitui o maior patrimônio que uma empresa possa ter. Pois como é dito por vários teóricos “o maior patrimônio de uma organização são as pessoas que nela trabalham”, sem as pessoas os outros recursos (materiais, financeiros, tecnológicos) não são nada.

O Capital Intelectual de uma empresa dever ser bem administrado, pois sendo um bem precioso os concorrentes passam “a ficar de olho”, pois querem para si, aquilo que não é valorizado pelo concorrente. Sendo assim, o trabalho do Departamento de Recursos Humanos nada mais é que recrutar e reter este capital, dando-lhe qualidade de vida, remuneração justa e treinamentos adequados para que o que é bom se torne cada vez melhor.

E para saber se você é ou não um Capital Intelectual mande currículos e demonstre sua pretensão salarial. Se você não receber respostas imediatas, reflita sobre suas habilidades e estude mais seus pontos fracos. Esteja sempre aberto para as novas ideias e tenha atitude.

Então? Você e Custo ou Capital Intelectual?
Postar um comentário